Bancos angolanos deixam de exigir documentos para divisas

Ana Tavares |
Bancos angolanos deixam de exigir documentos para divisas

O anúncio foi feito esta semana pelo vice-governador do Banco Nacional de Angola, Manuel Tiago Dias, segundo o qual os cidadãos poderão ir ao banco para ter acesso a moeda estrangeira, mantendo-se alguns limites e exigências relacionados com a prevenção do branqueamento de capitais e do terrorismo, que vão continuar a merecer a atenção dos bancos e das casas de câmbio. Durante uma conferência de imprensa, afirmou que «os bancos terão de ter conhecimento dos clientes e, principalmente, da natureza das operações que os clientes realizam», garantiu.

Vão também ser extintos os limites mensais, passando a existir apenas um limite anual de 120.000 dólares para as operações de pessoas singulares residentes cambiais maiores de 18 anos, independentemente da finalidade ou do instrumento de pagamento utilizado. Não são sujeitos a este limite despesas de saúde, educação, alojamento ou transferência de recursos por cidadãos estrangeiros não residentes ao cessar a sua permanência no país, citam a Lusa e o Negócios.