Built to Rent

Build to rent. A colossal distância de Madrid a Lisboa!

António Gil Machado

António Gil Machado

Diretor, Vida Imobiliária

No contexto do Grupo Iberinmo, esta edição tem um paralelo em Espanha com a revista Observatorio Inmobiliario, o que permitiu organizar dois eventos de pequeno-almoço que reuniram com uma diferença de dois dias líderes desta indústria.

Um dos temas que dominaram ambos os eventos foi o mesmo – Qual a oportunidade de promover para arrendamento (BTR – Build to Rent). Ir de Lisboa a Madrid, para discutir o mesmo tema, mais pareceu uma viagem entre dois mundos opostos!

Os profissionais em Lisboa foram unanimes em considerar que não há condições no nosso país, para uma iniciativa BTR. A alternativa são formatos que integram maior nível de serviço, como as residências de estudantes, o co-living ou as residências séniores. A regulação do arrendamento, os custos de construção, a carga fiscal e a força do mercado de venda, não deixam espaço para a promoção para arrendamento.

A realidade em Madrid foi a oposta... O build to rent é a grande aposta dos promotores imobiliários, que alinhados com plataformas de investimento, asseguram uma produção regular de habitação para arrendamento à classe média. A otimização do custo de construção, com um maior controlo do projeto e das tipologias de habitação, favorecem a industrialização da construção, quando esta é dirigida ao arrendamento. Para os promotores imobiliários, a cobertura de risco pela colocação dos ativos junto de grandes investidores, a procura por uma escala de operação e um contexto legal e fiscal, que não sendo ideal não é bloqueador, justifica a opção em Espanha pelo Build to Rent.

Como é possível que dois países vizinhos, com tanto em comum, possam apresentar neste domínio conclusões tão distantes? Uma questão que justifica uma reflexão dos nossos decisores públicos, porque a diferença essencial está nos fatores legais e fiscais de contexto!

A habitação acessível só será possível com o investimento privado e precisa de forma urgente de regulação amiga dos investidores!

Um boa leitura na presente edição da Vida Imobiliária.... e já agora podem ler a edição Observatorio Inmobiliário com as novas assinaturas Iberinmo!