Construção nova fica 2,2% mais cara

Ana Tavares |
Construção nova fica 2,2% mais cara

De acordo com os números do INE, neste mês os preços dos materiais aumentaram 0,4%, mas foi a mão-de-obra que impulsionou o índice em alta, num aumento de 4,9% face a julho de 2018, mais 0,7% que em julho.

Esta subida homóloga foi, no entanto, mais suave que a registada em julho do ano passado, quando o índice subiu 2,7%, com os materiais e a mão-de-obra a ficar 1,2% e 5,1% mais caros, respetivamente.

Na variação mensal, os custos de construção ficaram 0,8% mais caros, com os materiais a registar uma variação nula e a mão-de-obra a ficar 1,8% mais cara.