84% dos compradores de imobiliário no Porto são nacionais

Fernanda Cerqueira |
84% dos compradores de imobiliário no Porto são nacionais

Os portugueses continuam a ser os melhores clientes da habitação que se promove no Porto, representando 84% dos compradores, concluiu um estudo desenvolvido pela Avenue, em colaboração com a Predibisa e com o apoio da Câmara Municipal do Porto, apresentado no dia 4 de julho, na Alfândega. Para João Nuno Magalhães, «o mercado residencial do Porto ainda tem muita capacidade de crescimento, porque até agora foram os compradores nacionais que mais se destacaram».

Valor por m² na cidade do Porto é de 3.617 euros

Este estudo fez um levantamento da oferta dos últimos três anos, num universo de cerca de 2.900 frações, analisando cinco zonas diferentes: centro, zona ribeirinha, zona oriental, zona ocidental e 'Innovation District' (Paranhos e Ramalde).

De acordo com os resultados, o valor médio por metro quadrado no concelho do Porto é de 3.617 euros e os eixos à volta dos Aliados e da Foz apresentam os preços mais altos.

«Estamos a assistir ao alargamento do centro de gravidade do segmento alto da Foz para o Centro e para a Riverside. Estas zonas mais caras ganharam novo dinamismo porque se reinventaram», comentou Aniceto Viegas, diretor-geral da Avenue. 

De 2.725 euros/m² a 4.790 euros/m². Os preços médios das zonas do Porto

A zona Ocidental é aquela que apresenta o valor médio de venda por metro quadrado mais elevado, registando uma média de 4.790 euros/m². A microzona da Foz é a mais cara desta zona, com um valor médio de 5.526 euros/m².

O Centro, como um todo, considerando as várias microzonas, designadamente, Cedofeita, Miragaia, Santo Ildefonso, São Nicolau, Sé e Vitória, tem um preço médio de 3.852 euros/m². No entanto, «é aqui que se concentra o maior número de microzonas, sendo estas 38% mais caras que o preço médio do resto da cidade: registam uma média de 4.977 euros por metro quadrado», lê-se naquele estudo. Na zona ribeirinh, ou 'Riverside', é praticado um preço médio 16% mais alto que a mádia da cidade.

Inversamente as zonas Oriental e do 'Innovation District' têm preços médios abaixo da referência da cidade.

Na zona Oriental o preço de venda é de 3.043 euros/m², 16% abaixo da média da cidade. O 'Innovation District' tem um preço médio de 2.725 euros/m², 32% abaixo da média. 

Contudo estas zonas são aquelas com maior potencial de crescimento. «O Innovation District é a zona emergente que poderá dar uma resposta adequada à procura futura. E a zona oriental da cidade é uma zona prioritária de investimento para a autarquia.», comentaram Aniceto Viegas e João Nuno Magalhães.

Innovation District e Centro com maior dinamismo até 2022

O estudo apresentado perspetiva um futuro próspero para a cidade, dando nota de quase 100 empreendimentos na cidade, cerca de 190 mil m² de área de construção, em pipeline até 2022.  «As zonas Innnovation District e Centro são as que antecipamos que apresentem maior dinamização», concluíram os autores deste estudo.