Empresas

2021, o melhor ano de sempre da Porta da Frente Christie's

Ana Tavares |
2021, o melhor ano de sempre da Porta da Frente Christie's

Sponsored content: PORTA DA FRENTE CHRISTIE’S

O otimismo com que a empresa concluiu 2020 confirmou-se: o mercado imobiliário português provou a sua força e sustentabilidade, com um segundo semestre de 2021 repleto de aquisições tanto por nacionais como por estrangeiros.

O ano começou com algum abrandamento da procura, que se deveu essencialmente às restrições inerentes à pandemia e à impossibilidade dos estrangeiros se deslocarem ao nosso país. Nomeadamente de fora da Europa. Mas este fator só se verificou até metade do ano. No segundo semestre de 2021 houve uma retoma muito acentuada na procura externa: foram 37 as nacionalidades que fizeram negócios com a Porta da Frente Christie’s, um número consideravelmente superior ao ano anterior (com 29) e que contou com novos compradores, como o caso dos americanos. Esta lista é encabeçada pelos portugueses (com 39% dos negócios efetivados), seguidos dos brasileiros (23%), americanos (7%) franceses (4%) e ingleses (6%).

O volume de vendas fala por si: mais de 360 imóveis vendidos no ano passado, em comparação com as cerca de 185 vendas feitas em 2020, com um valor médio de compra a rondar os 930.000 euros. 2021 foi o ano com maior faturação e volume de vendas registado nos 26 anos de existência da mediadora portuguesa, um marco especialmente histórico, tendo em consideração todas as limitações da pandemia.

Um fator muito importante para a recuperação do mercado foi o facto de a região de Lisboa não ter parado a construção nem o lançamento de novos projetos, o que alimentou e dinamizou o setor, mesmo nesta altura. Características como espaços exteriores, proximidade ao rio/mar e experiência cosmopolita foram as mais desejadas pelos nossos clientes.

Porta da Frente info.png


A Porta da Frente trouxe para Portugal 1 bilião de euros vindo do estrangeiro

Além disso, em 2021 consagrou-se a procura por localizações que ofereçam um quotidiano a pé, com todo o tipo de serviços e comodidades a poucos minutos. Zonas como Parede, Estoril, Alto do Lagoal, Paço de Arcos, Avenidas Novas e Parque das Nações foram as mais vistas.

«O conceito de walkability é já uma das tendências de procura dos nossos clientes, e acreditamos que irá crescer em 2022. Os próprios produtos imobiliários começam a ser pensados com mais consciência ambiental e de sustentabilidade, promovendo estilos de vida mais saudáveis e ecológicos», afirma Rafael Ascenso, diretor geral da Porta da Frente Christie’s.

Além dos lifestyles que são muito desejados pelos clientes, como praia, beira-rio ou cosmopolita, ao longo do ano passado consolidou-se a pesquisa por imóveis de campo, ocupando agora a 3ª opção mais procurada. Fatores como o teletrabalho, vontade em sair dos grandes centros para ter mais espaço ou até adquirir uma segunda casa, contribuíram esta subida.

2021 foi um ano de recuperação para a Porta da Frente Christie’s, com a retoma em força do comprador internacional com 61% das vendas e a consolidação do cliente português, que aposta cada vez mais no mercado imobiliário como um investimento seguro, rentável e duradouro.

«Quando iniciámos 2021, estávamos confiantes de que seria um ano regresso ao mercado e otimistas com a procura nacional e internacional. E a verdade é que não só recuperámos, como tivemos o nosso melhor ano de sempre em volume de negócios e faturação. Este resultado é a prova de que a Porta da Frente Christie’s se conseguiu superar, até em momentos mais adversos, e reforçar o seu posicionamento no mercado premium como uma das mediadoras mais fortes e relevantes no mercado premium», afirma Rafael Ascenso.

Para 2022, a Porta da Frente acredita que o dinamismo do mercado irá manter-se e os novos projetos irão continuar a atrair muitos compradores. A imobiliária portuguesa mantém o seu compromisso de melhorar a cada ano a excelência no atendimento ao cliente.

selo-vertical.png