Luís Lima pede mais oferta de habitação em tomada de posse

Ana Tavares |
Luís Lima pede mais oferta de habitação em tomada de posse

Luís Lima foi reeleito com 98% dos votos para um novo mandato à frente da APEMIP nas eleições que se realizaram a 24 de outubro passado. Na ocasião, pediu mais construção de nova habitação, por forma a equilibrar os preços do mercado e dar à classe média melhores condições de acesso à habitação. O responsável prevê que os preços sigam uma tendência de estabilização, mas a falta de novo produto está a colocar pressão nos valores.

Por outro lado, sugere que um conjunto de terrenos municipais possam ser disponibilizados para investimento privado, e para a criação de habitação com rendas acessíveis.

Durante a sua tomada de posse, Luís Lima pediu ainda ao IMPIC e ao Governo que a APEMIP possa passar a ordem profissional.

 

Lisboa licencia projetos de €1.000M

Durante a cerimónia, Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, avançou que a autarquia licenciou no ano passado projetos imobiliários no valor de 1.000 milhões de euros de investimento. Assume que «o imobiliário é uma primeira alavanca da economia e do crescimento, e portanto tem de ser acolhido e acarinhado por nós».

Segundo o autarca, este valor compara com o volume de 100 milhões de euros de licenciamentos aprovados no primeiro ano em que foi vice-presidente da CML, o que explica as dificuldades no processamento dos licenciamentos. «Temos 10 vezes mais trabalho e não temos 10 vezes mais pessoas».

«Lisboa é hoje uma cidade globalizada que atrai mais investimento, e temos assim uma concorrência internacional que traz uma inflação ao mercado imobiliário que é impossível de acompanhar pela população local». Por isso, acredita, «temos de aumentar de forma rápida o stock de casas a preços acessíveis e com iniciativa pública».

Sem avançar pormenores, afirmou que, neste âmbito, a autarquia vai lançar «um novo produto de arrendamento e uma nova equação que vamos detalhar muito em breve».