Operação hoteleira desce em fevereiro

Ana Tavares |
Operação hoteleira desce em fevereiro

Os números do AHP Tourism Monitors mostram que, no mês em análise, é de assinalar a variação negativa da taxa de ocupação em todas as categorias, com destaque para os hotéis de 4 estrelas, onde a variação homóloga foi de -3,3%. Madeira, Lisboa e Grande Porto registaram a ocupação mais elevada, de 71%, 67% e 55%, respetivamente.

O ARR, por outro lado, subiu 1% neste mês, fixando-se nos 70 euros. As 5 estrelas desceram 2% em termos homólogos.

Já o RevPar atingiu os 37 euros, menos 3% face ao período homólogo. Lisboa, Madeira e Grande Porto registaram o RevPar mais elevado do país, de 57, 49 e 40 euros, respetivamente.

Cristina Siza Vieira, da AHP, comenta que «os esultados deste mês de fevereiro foram um claro reflexo do “efeito Carnaval”, que no ano passado se festejou em fevereiro e este ano aconteceu em março. De destacar, ainda, que a Madeira está em queda na TO há 5 meses consecutivos e que, apesar do crescimento homólogo no ARR, a queda na TO já se está a refletir desde o início do ano numa quebra, ainda que ligeira, no RevPar. Isto é, apesar dos bons resultados na TO e no RevPar da Madeira, em termos comparados com outros destinos, preocupa-nos este registo consecutivo de performance negativa nestes indicadores, sobretudo pela queda dos hóspedes dos mercados inglês e alemão», alerta a responsável.