Ocupação da hotelaria cresce para os 81% em julho

Ana Tavares |
Ocupação da hotelaria cresce para os 81% em julho

Aveiro, Açores e Minho registaram as maiores subidas da ocupação, de 14,9%, 6,5% e 6,2%, respetivamente, por oposição ao Alentejo, Madeira e Beira Interior & Viseu, com descidas de 4,3%, 4,2% e 3,3%.

Paralelamente, o ARR desceu 1% para os 116 euros, mostra o AHP Tourism Monitors, apurado pela AHP, que salienta as descidas de 13% da Beira Interior & Viseu, de 10% de Leiria/Fátima/Templários, e de 6% em Lisboa.

Em julho, o RevPar fixou-se nos 93 euros, mais 0,1% face ao período homólogo. O Algarve registou o RevPar mais elevado, de 136 euros, seguido pelos 107 euros de Estoril/Sintra e dos 106 euros de Lisboa.

A AHP salienta tanto no ARR como no RevPar as subidas de 9% e 6% nos hotéis de duas estrelas e as descidas de 5% e 4% nas 5 estrelas.

Tratou-se de «um mês um pouco atípico», explica Cristina Siza Vieira, CEO da AHP, «com alguns destinos a sacrificar os preços para aumentar a taxa de ocupação, como foi o caso de Leiria/Fátima/Templários e Lisboa. No entanto, deve destacar-se que destinos como Açores, Grande Porto, Aveiro e Algarve registaram, neste mês, uma ocupação acima dos 80%. Crescendo na TO sem sacrifício do preço».