Investimento hoteleiro bate recorde de €469M e iguala Espanha

Ana Tavares |
Investimento hoteleiro bate recorde de €469M e iguala Espanha

Até agora, o máximo anual registado a nível de investimento hoteleiro foram 275 milhões de euros, em 2008, recorda a Cushman & Wakefield na apresentação do seu mais recente estudo “Hotel Investment in the Iberian Peninsula: Expansion & Evolution – What’s Next?”, apresentado esta semana. Este relatório analisa em detalhe a atividade de investimento em hotéis no mercado Ibérico, abordando ainda o desempenho e as principais tendências na área do turismo em Portugal e Espanha.

Gonçalo Garcia, Head of Hospitality da consultora em Portugal, comentou a propósito que «a hotelaria é vista cada vez mais como um setor válido de investimento, assumido na forma de propriedade e operação bem como no investimento para rendimento. A Península Ibérica tem observado nos últimos anos uma canalização de investimento significativa, sendo a origem do capital predominantemente estrangeira».

No ano passado, o mercado hoteleiro nacional registou um aumento de 51% no volume transacionado, num recorde de 10 anos no valor de 226 milhões de euros, um nível ainda distante da realidade espanhola de 3.700 milhões de euros em igual período.

Mas Espanha observa agora uma tendência de abrandamento na atividade de investimento hoteleiro. No ano passado, registou uma quebra de 18,7% face ao ano anterior, registando um novo abrandamento no 1º semestre de 2019, para os 461 milhões de euros, menos 46% que em igual período do ano passado.

O valor agora registado no mercado português representa o quadruplicar da atividade face aos 111 milhões de euros investidos nos primeiros 6 meses do ano passado, colocando assim o mercado num patamar semelhante ao espanhol. Este é um marco especialmente importante, tendo em conta que o peso do mercado português no contexto ibérico nos últimos dez anos não chega a 7%.

 

Quartos portugueses mais caros que os espanhóis

Em termos gerais, Espanha regista um investimento acumulado muito superior ao de Portugal, mas é este o mercado que está a registar o preço médio por quarto mais elevado ao longo dos últimos 10 anos, frisa a C&W.

No ano passado, cada quarto custou uma média de 338.000 euros, 2,5 vezes mais do que a média de 140.000 euros registada em Espanha. Este ano, o valor aumentou para os 335.000 euros, o que se justifica com o facto de a maior parte das transações dizerem respeito a produtos de qualidade superior ou de luxo. Só na transação do portfólio de hotéis Tivoli e NH, comprado pela Invesco à Minor, o valor médio por quarto somou os 445.000 euros.

Só esta transação representou um investimento de 313 milhões de euros, e comprova a tendência de redução do número de operações fechadas nos dois países – o que se deve à diminuição do stock de propriedades disponíveis para investimento.