Hotelaria fecha o 1.º trimestre com resultados aquém das expetativas

Fernanda Cerqueira |
Hotelaria fecha o 1.º trimestre com resultados aquém das expetativas

De acordo com o AHP Tourism Monitors, da Associação da Hotelaria de Portugal, vários indicadores fecharam o primeiro trimestre no negativo. Nem a época festiva do Carnaval registou os números alcançados no ano anterior, tendo verificado uma quebra de 1,2 pontos percentuais na taxa de ocupação.

«Os resultados deste mês de março ficaram ligeiramente aquém do esperado na hotelaria nacional, sobretudo por estarmos no mês do Carnaval e em que se registaram temperaturas acima do habitual para a época», comenta Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP.  

Não obstante a variação negativa da taxa de ocupação, é de apontar a subida de 1% do preço médio por quarto ocupado, fixando nos 77 euros, no mês de março. Os destinos Minho (mais 16%), Oeste (mais 11%) e Aveiro (mais 8%) foram os que registaram uma maior subida na variação.

No computo dos três primeiros meses do ano, a taxa de ocupação foi de 53%, menos 1,7 pontos percentuais face a igual período do ano anterior e os destinos turísticos que registaram a maior taxa de ocupação foram Madeira (70%), Lisboa (69%) e Grande Porto (56%). O preço médio por quarto ocupado fixou-se nos 74 euros, mais 2% que em 2018 e o RevPar decresceu 1% e fixou-se nos 39 euros.