Guest Ready quer gerir até 350 unidades em Portugal até ao final do ano

Ana Tavares |
Guest Ready quer gerir até 350 unidades em Portugal até ao final do ano

Em entrevista à VI, Vanessa Vizinha, da Guest Ready, explica que o nosso país tem um mercado de alojamento local «muito interessante, e a empresa achou que fazia sentido investir aqui. Além disso, o fundador também já conhecia Portugal».

A Guest Ready trabalha na angariação de proprietários e na gestão dos imóveis em regime de alojamento local, em particular nas zonas históricas das cidades. Em Lisboa tem cerca de 30 unidades e cerca de 90 no Porto.

A empresa começou por fazer um “soft lounch” no Porto, entre abril e outubro de 2018, antes de se instalar oficialmente no mercado. A partir daí, lançou projetos em Lisboa e no Porto, cidades que quer consolidar antes de se expandir para outros territórios: «queremos continuar a aumentar o nosso portfólio mantendo a nossa qualidade. O nosso foco para esta época alta é conseguirmos o máximo rendimento possível e garantir as reservas. Queremos maximizar esses rendimentos».

A operação faz-se seguindo dois modelos distintos: «um diz respeito à gestão online e de reservas», que implica uma percentagem de 10%, e outro inclui «todo o processo, desde as reservas, à limpeza, receção e hóspedes, decoração, apoio fiscal, gestão de faturas, entre outros. E é neste último que nos focamos mais», explica Vanessa Vizinha.

A empresa trabalha também em conjunto com os proprietários para atualizar os preços dos imóevis de acordo com a oferta e a procura presentes, por forma «a rentabilizar ao máximo estas propriedades».

 

Experiência global e tecnologia a favor

A Guest Ready opera num mercado que tem cada vez mais operadores de alojamento local. Pretende diferenciar-se por ser «uma empresa global, estamos presentes em seis mercados, incluindo a Ásia ou o Dubai, e por isso trazemos muito know how sobre este setor».

Por outro lado, «investimos muito na parte tecnológica, nomeadamente através da nossa plataforma, e a nível de transparência: os nossos clientes têm uma área no site onde podem aceder a todas as informações sobre o seu imóvel, taxas de ocupação, reservas, datas ou rentabilidades. É algo que os proprietários nos dizem que gostam muito».

Além disso, «o contacto que temos com os proprietários é bastante personalizado, também é algo que estes apreciam». Clientes estes que podem ser «grandes ou pequenos proprietários, investidores portugueses ou estrangeiros, donos de 4 ou 5 habitações ou de um edifício completo. A maioria são propriedades singulares».

 

Aquisição de outras empresas deu novo “boost” ao negócio

A Porto City Flats foi reentemente adquirida pela GuestReady, uma concorrente que geria vários edifícios completos no Porto, detidos por investidores particulares. «Adquirimos a equipa completa e respetivos contratos. Isto permitiu que pudéssemos aumentar o nosso portfólio», explica a responsável.

Recentemente, a empresa também adquiriu a empresa BnbLord, a maior empresa de administração de unidades de alojamento local em França, tornando-se assim no atual líder europeu na área de gestão de alojamento local, com mais de 2.000 propriedades sob gestão no Velho Continente. 

Não avançando novidades concretas neste aspeto, Vanessa Vizinha assume que «se surgir a oportunidade, poderemos fazer novas aquisições deste género».