Crescimento do turismo desacelera em setembro

Ana Tavares |
Crescimento do turismo desacelera em setembro

A taxa líquida de ocupação fixou-se nos 57,1%, recuando 1,9%. Apesar disso, os proveitos totais subiram 6,7%, abaixo dos 7,3% de agosto, num total de 498,7 milhões de euros. Os proveitos de aposento atingiram os 378,5 milhões de euros.

Por outro lado, o RevPar fixou-se nos 66 euros, mais 1,2%, abaixo dos 1,7% registados no mês anterior. O rendimento médio por quarto ocupado somou os 97,5 euros, mais 3%.

A nota foi, no entanto, de aceleração no caso das origens. Neste período, as dormidas de residentes subiram 4,4%, e as de não residentes (70,9% do total) 2,9%, que comparam com as subidas de 3,6% e 2,5% em agosto, respetivamente. Desde o início do ano, as dormidas subiram 3,9%, com os residentes a crescer 6,4% e os não residentes 2,9%.

De acordo com os dados divulgados pelo INE, o destaque vai para os mercados chinês e norte-americano, que registaram os crescimentos mais expressivos, de 23,8% e 21,1%, apesar de terem quotas mais reduzidas. Os britânicos dominam com uma quota de 20,9% do total de dormidas de não residentes em setembro (com uma subida de 0,1%), seguidos pelos alemães, com 13% do total, e uma quebra de 8,1%.