Crescimento do turismo abrandou em maio

Ana Tavares |
Crescimento do turismo abrandou em maio

Estas variações comparam com as de 10% e 10,5% registadas no mês anterior. Em maio, os turistas nacionais registaram uma subida de 8,6% nas dormidas, comparando com o aumento de 2,5% dos turistas estrangeiros, fortes abrandamentos face às subidas de 16,1% e 8,5% registadas em abril.

Os 16 principais mercados representaram 86,9% das dormidas dos não-residentes nos estabelecimentos turísticos. O INE destaca a performance do mercado espanhol neste mês, que representou 7,4% do total, registando uma subida de 24,5% em maio. Já o mercado brasileiro subiu 10,5% para 5,9% do total.

O mercado britânico registou 21,5% do total das dormidas de não residentes, numa subida de 1,4%, ao passo que os hóspedes alemães e franceses registaram descidas de 12,4% e 4,8%, respetivamente.

Todas as regiões do país registaram subidas nas dormidas de residentes, à exceção da Madeira, com uma descida de 3,8%. O Alentejo e o Norte destacam-se com subidas de 10,5% e 9,9%, respetivamente, com o Algarve e Lisboa a concentrarem 30,8% e 26,6% das dormidas.

No mês de maio, a estada média reduziu-se em 3,5% para 2,51 noites, descendo 5% no caso dos não-residentes. Já a taxa líquida de ocupação-cama fixou-se nos 50,4% e recuou 1,1%.

Os proveitos totais da hotelaria aumentaram 6,2%, num total de 398,9 milhões de euros. Os proveitos de aposento somaram os 295,7 milhões de euros, mais 5,9%.