Casas integradas em resort ficam 9,6% mais caras no 1º semestre

Ana Tavares |
Casas integradas em resort ficam 9,6% mais caras no 1º semestre

 

A subida face ao semestre homólogo foi de 4%. O crescimento inverte a trajetória de quebra registada nos dois semestres anteriores, ambos com desvalorizações semestrais de cerca de 5%, que terão refletido sobretudo a fase de adaptação do mercado ao contexto de incerteza trazido pelo Brexit e pela desvalorização da Libra Esterlina que se seguiu ao referendo.

Ricardo Guimarães, diretor da Ci, nota que «a relativa estabilização da Libra e a perceção de que a procura inglesa se manteve ativa, a par do robustecimento da procura assente na diversificação de mercado emissores, com compradores de países asiáticos, Brasil e outros a protagonizarem compras de elevado valor, sustentam a recuperação dos preços agora registada».

A subida dos preços em resorts neste semestre já era esperada pelos agentes de mercado, que o apontaram no inquérito de sentimento e expetativas Resorts Market Survey. A projeção dos players do mercado era para um crescimento de 7,1% neste primeiro semestre. Para o segundo semestre, as perspetivas mantêm-se positivas, embora mais conservadoras, antecipando-se um aumento de 6,2% nos preços deste tipo de habitação.