BB avança com três novos hotéis no Porto

Ana Tavares |
BB avança com três novos hotéis no Porto

 

Já em abril, deverá abrir portas o novo Hotel Fernão de Magalhães (nome provisório), uma unidade de 4 estrelas e 96 quartos e suites que vai surgir num edifício reabilitado na avenida com o mesmo nome. Será equipada com restaurante, bar, rooftop ou estacionamento, e gerida por um grupo hoteleiro a anunciar.

Em entrevista à Publituris Hotelaria, a empresa explica que «esta localização foi escolhida pela proximidade à Baixa do Porto, pela proximidade ao metro, pelos excelentes acessos, mas, principalmente, por se tratar de uma zona da cidade que irá evoluir drasticamente nos próximos anos». E completa que «apesar de a unidade consistir na reabilitação de um edifício existente, foram realizadas obras de fundo, sendo utilizadas técnicas modernas de construção. O foco foi, como sempre, o conforto. O projeto de design de interiores foi desenvolvido pela Polkadot, num estilo elegante e acolhedor».

O Oriental Porto Hotel é outro hotel de 4 estrelas que a BB Sociedade Imobiliária está a trabalhar na Rua Padre António Vieira, mais um projeto de reabilitação que arrancou em janeiro deste ano. Será composto por um edifício habitacional e outro industrial, que «darão lugar a uma única unidade hoteleira que se desenvolve por vários corpos, sempre rodeada por jardins. A renovação deste edifício industrial, em conjunto com esta relação com os espaços verdes exteriores, cujo projeto está a ser desenvolvido por Laura Roldão Costa, tornarão este hotel de cidade com um conceito único” explica a empresa».

O Oriental Porto Hotel terá 83 quartos, suite, restaurante, bar e estacionamento. Esta unidade deverá abrir portas no primeiro semestre do próximo ano.

Também em 2020 vai abrir o Memória Talasso Hotel Apartamentos, em Matosinhos, um hotel na linha de praia, construído de raiz, que terá 94 apartamentos T0 a T2 com vista de mar, restaurante, bares, piscina, spa e talassoterapia e estacionamento.

Como explica a empresa, «a estratégia da BB tem passado por desenvolver e construir as unidades hoteleiras sem estar definido o grupo hoteleiro que as ocupará. Tal tem permitido a criação de projetos originais e a entrega de um produto chave na mão num conceito diferente do habitual».