Turismo residencial do Algarve atrai investidores de 18 nacionalidades

Ana Tavares |
Turismo residencial do Algarve atrai investidores de 18 nacionalidades

A informação é divulgada no novo SIR-Turismo Residencial, um sistema estatístico que abrange a atividade de compra e venda de imóveis de turismo residencial desenvolvido pela Confidencial Imobiliário em parceria com a APR e com o Turismo de Portugal, apresentado esta semana durante a Conferência Nacional do Turismo Residencial e do Golfe.

Ricardo Guimarães, diretor da Ci, nota que «num setor com características únicas, por ser orientado para o uso turístico e vocacionado para a atração de investimento internacional, era determinante uma análise com estatísticas próprias e diversas das que apuramos para o mercado habitacional tradicional. É uma forma decisiva de promover a confiança dos investidores».

Os números mostram que o eixo constituído pelos concelhos de Albufeira e Loulé compõe o mercado com maior concentração da oferta de turismo residencial do país, num total de 39%, e tem a mais longa tradição neste segmento de mercado, incluindo em projetos integrados de resorts.

Aqui se realizou a maior parte das vendas reportadas neste relatório entre o início de 2015 e o final do 1º semestre de 2016, onde o valor médio de oferta das moradias de turismo residencial é também o mais elevado entre as áreas analisadas, fixando-se nos 4.870 euros/m² , e nos 3.250 euros/m² no caso dos apartamentos.

Com o Reino Unido a liderar o mercado com 64% das transações de estrangeiros e com um valor médio de transação de 1,78 milhões de euros, são de destacar também os chineses, responsáveis por 10% das vendas e com uma média de 778,9 mil euros, ou a França, com 13% de quota agregada nas vendas e um investimento médio de 1,4 milhões de euros.

Ainda a nível de vendas, destaca-se o Barlavento Algarvio e o Litoral Alentejano, que pesam 25% e 18%, respetivamente, no stock de unidades residenciais em oferta para uso turístico, principalmente procuradas pelos países do Norte da Europa, que pesam 60% das vendas do conjunto. Aqui, o ticket médio dos estrangeiros é de 318.000 euros.

O SIR – Turismo Residencial também dá destaque ao Sotavento Algarvio, onde os preços médios de oferta estão entre os mais baixos do mercado, nos 2.140 euros/m² no caso dos apartamentos e nos 3.120 euros/m² no caso das moradias, num total de 8,2% do stock para turismo residencial em oferta. Já a Grande Lisboa pesa 14,2% da oferta analisada pelo SIR, com valores para os apartamentos de 3.870 euros/m² e de 3.110 euros/m² para as moradias.

53% da oferta analisada pelo SIR para o total das regiões neste período diz respeito moradias, 19% a lotes e 27% a apartamentos. 65% do total de unidades está integrada em resorts, uma característica que valoriza os ativos, numa diferença de 3.300 (em resort) para 3.260 euros/m² de valor médio de oferta, no caso dos apartamentos, e de 4.680 para 3.410 euros/m² no caso das moradias.