Subida dos preços das casas continua a desacelerar em Lisboa

Ana Tavares |
Subida dos preços das casas continua a desacelerar em Lisboa

Os números são do mais recente Índice de Preços Residenciais da Confidencial Imobiliário, referentes ao 1º trimestre de 2019, e que acompanha a evolução dos preços de venda da habitação em Portugal Continental. Monitoriza 278 municípios e apura resultados nacionais agregados.

Segundo a Ci, a variação homóloga registada no 1º trimestre de 2019 é a mais baixa desde o final de 2015, confirmando a tendência de desaceleração da valorização registada neste mercado ao longo do último ano. Recorde-se que, no 2º trimestre de 2018, Lisboa estava a valorizar 21,5%.

Também no Porto a tendência é de abrandamento dos preços, apesar de registar a subida homóloga dos preços residenciais mais elevada do país, num total de 28,8% no 1º trimestre, refletindo um abrandamento face aos 32,9% do trimestre anterior. Esta é a primeira vez, desde início de 2018, que a subida homóloga de preços no Porto reduz a intensidade, sugerindo que este mercado possa estar agora a iniciar o percurso de arrefecimento observado em Lisboa há cerca de um ano.

Lisboa registou uma variação trimestral de 0,7% enquanto que o Porto registou uma subida de 5,3%.

 

Preços aceleram a nível nacional

Em sentido oposto, a nível nacional o preço da habitação manteve o seu ritmo de subida, num crescimento homólogo de 15,9%, a variação homóloga mais elevada dos últimos 4 trimestres, período durante o qual o preço das casas no país tem subido sempre acima dos 15%.

A nível trimestral, a subida nacional foi de 3,5%, acima dos 3,3% registados no trimestre anterior.

Ricardo Guimarães, diretor da Confidencial Imobiliário, comenta que estes resultados «sugerem que já não são as cidades de Lisboa e Porto a base para o crescimento nacional dos preços, mas sim o aumento verificado nas outras cidades. Na maioria das capitais distritais a subida dos preços intensificou-se neste trimestre, explicando-se, assim, que os preços a nível nacional mantenham o ritmo de crescimento num contexto de abrandamento da valorização nos dois principais mercados».