Smart Studios soma 1.500 unidades ao seu portfólio

Ana Tavares |
Smart Studios soma 1.500 unidades ao seu portfólio

A marca lançada em 2016 tem atualmente 620 Smart Studios em operação e mais 880 em desenvolvimento de projeto, nomeadamente um complexo na Ajuda, que ficará pronto em setembro, disponibilizando 73 unidades.

Recentemente, arrancou a requalificação do antigo edifício da Fergráfica, onde vão surgir 114 Smart Studios em março do próximo ano. E junto à Universidade Nova, em Carcavelos, na zona dos Lombos, estão a ser construídos 301 estúdios e apartamentos, o maior projeto da empresa até à data, com data prevista de inauguração em maio de 2020.

Até 2023, a Smart Studios quer atingir as 2.700 unidades, num investimento de cerca de 125 milhões de euros. Nesse sentido, adquiriu recentemente dois lotes de terreno em Lisboa onde vai construir cerca de 535 unidades, nomeadamente na zona da Alta de Lisboa. Comprou também um terreno no Porto, na zona da Asprela, para onde projeta 230 Smart Studios.

Está também prevista a reabilitação de um edifício da Universidade de Lisboa, no Príncipe Real, na sequência do Concurso Público para exploração de uma residência universitária, que dará origem a 79 unidades de alojamento.

 

Coliving é a nova aposta

A par da expansão deste portfólio, a Smart Studios quer entrar no mercado do coliving, e está a «introduzir uma série de serviços e parcerias que permitam aos inquilinos terem uma qualidade de vida de excelência», pode ler-se em comunicado. Assume este como um «conceito de futuro».