Promoção nova deverá marcar o ano de 2019

Ana Tavares |
Promoção nova deverá marcar o ano de 2019

 

No seu relatório de balanço do ano divulgado esta 4ª feira, a consultora explica que há uma maior diversificação geográfica e de segmentos na habitação: «além dos produtos de luxo no centro de Lisboa, zonas como Marvila, Beato e Alcântara; Alta de Lisboa, Telheiras e Benfica; ou Carnaxide, Algés e Miraflores começam a despontar, sobretudo com projetos destinados à classe média e com maior dimensão».

A JLL tem comercializado mais de 1.900 fogos em empreendimentos novos lançados em 2018 em Lisboa, mais 50% que em 2017. Mas em Lisboa, a reabilitação continua a ser a principal fonte de produção imobiliária, representando entre 60% a 70% dos processos de licenciamento da cidade.

No radar dos promotores estão também os escritórios, «pois apesar de ter um preço de saída menor que o setor residencial, tem custos e prazos de desenvolvimento mais reduzidos. O pipeline de escritórios até 2022, inclusive, é de 410.000 m2, com o Parque das Nações a apresentar uma forte presença neste stock projetado. Só em 2019 deverão ser concluídos 78.000 m2 de novos escritórios, embora grande parte já com ocupação pré-contratada», diz a consultora.