Preços estabilizam no centro histórico de Lisboa

Ana Tavares |
Preços estabilizam no centro histórico de Lisboa

 

Este relatório cobre as freguesias da Misericórdia, Santa Maria Maior e São Vicente. Segundo o mesmo, apesar de os preços das casas nestas zonas estarem em máximos de 10 anos e 68% acima do patamar de 2008, ano base do Índice, (106% acima do mínimo do mercado em 2013) têm agora uma nota de estabilização.

Segundo a Ci, esta valorização semestral representa uma desaceleração face aos 5,9% de subida observados no semestre anterior, sendo a segunda contração consecutiva deste indicador. Já no segundo semestre de 2017 a tendência tinha sido de acentuado abrandamento, com a taxa de variação semestral então registada a cair para menos de metade (em cerca de 8,5 pontos percentuais) face aos 14,4% observados na primeira metade desse ano. Este abrandamento dos dois últimos semestres faz com que a taxa de variação homóloga se tenha reduzido de forma visível, terminando o primeiro semestre de 2018 nos 6,0%, após ter atingido os 21,1% no semestre anterior.

Ricardo Guimarães, diretor da Ci, comenta que «a dinâmica de investimento e de reabilitação, com o crescimento do número de projetos de uso turístico, de comércio e de habitação direcionada para uma gama alta de mercado, além do crescimento da procura internacional, favoreceram o surgimento de uma dinâmica de valorização que, primeiramente, se fez sentir no Centro Histórico e depois começou a contagiar outras zonas da cidade».

Para este especialista, «a intensidade dessa dinâmica e o nível de preços entretanto atingido no Centro deixavam antecipar que o ritmo de valorizações fosse progressivamente suavizar. No contexto da cidade, esta deverá também ser a tendência, embora um pouco desfasado no tempo face ao Centro».

Desde meados de 2013 que o Índice de Preços Residenciais apurado pela Ci para o concelho de Lisboa tem vindo a crescer, especialmente desde o final de 2015, resultando em variações homólogas acima dos 20% há 9 trimestres consecutivos. No 2º trimestre deste ano, o índice subiu 4,9% em termos trimestrais e 21,5% em termos homólogos, estando atualmente 58% acima do patamar de 2007 e mais de duas vezes acima do praticado em 2013.