Portugal precisa de 20.000 camas para estudantes

Ana Tavares |
Portugal precisa de 20.000 camas para estudantes

Os números são de um relatório recente da JLL, segundo o qual continua acentuado o gap entre a oferta e procura de alojamento para estudantes nos dois países, impulsionado pelo aumento do número de estudantes deslocados nacionais ou internacionais. Por exemplo, Espanha aumentou a oferta em 1,5%, mas o ritmo de crescimento do número de estudantes já aumentou o défice de oferta em 3,7%.

A alternativa ao alojamento especializado é o mercado de arrendamento, oferta maioritariamente privada e muito heterogénea. Mas, segundo a consultora, os estudantes em Portugal procuram uma marca de confiança, qualidade nos materiais, uma comunidade, design, ou oferta de serviços e lazer.

Apesar de se manter o gap, a oferta está a aumentar, e deverá crescer 2,9% na Península Ibérica para 93.712 novas camas ainda este ano, e 5,2% em 2020.

Maria Empis, da área de Consultoria e Research da JLL Portugal, comenta que «o setor das residências de estudantes é a última tendência do setor imobiliário em Portugal. Nos últimos três anos, assistimos à abertura de novas residências em Lisboa e no Porto, com ocupações a rondar os 100%. Os principais operadores internacionais já apresentam projetos para a incorporação de 10.000 novas camas».