Porto vai ter 400 casas com rendas acessíveis

Ana Tavares |
Porto vai ter 400 casas com rendas acessíveis

 

A 10 de janeiro foi apresentado o projeto para o antigo quartel, que prevê a construção de 370 habitações num terreno com «o dobro da área da Avenida dos Aleados». A estas somam-se agora outros 230 fogos a construir num terreno de 28.900 metros quadrados no Monte da Bela, onde existia o Bairro de São Vicente de Paulo, demolido há 10 anos. Destas 600 habitações, 400 ficarão no mercado de renda acessível, e as restantes ficarão no mercado livre, servindo 1.700 habitantes, segundo o Público.

O concurso público para os dois projetos será lançado em conjunto até ao verão, num valor de 72,5 milhões de euros. A câmara fará a cedência dos terrenos por um prazo «variável entre 25 e 50 anos», findo o qual a propriedade volta a ser da autarquia. O investimento da câmara será de 4,2 milhões de euros, e a conclusão da empreitada está prevista para 2022.

Tratam-se de duas zonas distintas. Por um lado, no centro «a procura é maior», por outro, Campanhã é uma zona em crescimento: «ao lançar isto em conjunto estamos a potenciar os interessados no Monte da Bela», explicou Rui Moreira citado pelo mesmo jornal. «Se queremos reequilibrar a cidade temos de dar aqui um sinal e dar o exemplo».

Falta ainda conhecer a legislação e as fórmulas de cálculo da renda acessível, que serão publicadas em breve e que estes projetos vão seguir. Mas a câmara estima que os preços rondem os 6,10 euros por metro quadrado no caso do Monte Pedral e os 5 euros no caso do Monte da Bela.