Crescimento das rendas em Lisboa abranda no 2º trimestre

Ana Tavares |
Crescimento das rendas em Lisboa abranda no 2º trimestre

 

A variação trimestral passou de 7,4% no último trimestre de 2017 para 4,6% no 1º trimestre deste ano, passando agora para os 1,8%, mostram os mais recentes dados da Confidencial Imobiliário no âmbito do Índice de Rendas Residenciais referente ao concelho de Lisboa.

Este abrandamento já está a afetar o desempenho das rendas em termos homólogos, tendo o crescimento abrandando, mantendo-se, contudo, bastante intenso. No 2º trimestre deste ano, a subida das rendas face a igual período do ano passado foi de 17%, menos 20% que a variação homóloga registada no trimestre anterior. É o 8º trimestre consecutivo de aumento homólogo das rendas em Lisboa a dois dígitos.

Consequentemente, as rendas estão em níveis máximos de 8 anos, com os níveis agora registados 38% acima dos observados em 2010, o ano base do índice. O nível mais baixo das rendas foi atingido no 2º trimestre de 2013, face ao qual o atual momento já representa uma recuperação de 71%.

Na área da “Restante Grande Lisboa”, as rendas habitacionais subiram 14% em termos homólogos e 3% em termos trimestrais, valores idênticos ao período anterior. Segundo a Ci, o contágio do desempenho das rendas na capital à restante região começou a ser visível sobretudo no último ano, com o IRR a exibir variações homólogas de entre 12% a 14% há cinco trimestres consecutivos.

A nota é também de subida para o conjunto de Portugal Continental, onde as rendas subiram 11,3% em termos homólogos, desacelerando em 1,8% face ao período anterior. A subida foi de 2,4% em termos trimestrais.