Coporgest investe €18M no icónico Duques de Bragança

Ana Tavares |
Coporgest investe €18M no icónico Duques de Bragança

O palácio do século XVI, que esteve durante anos na posse da Casa de Bragança (comprado em 2016 à Fundação D. Manuel II), foi o primeiro grande hotel de Lisboa, inclusivamente mencionado por Eça de Queirós no livro ”Os Maias”.

Agora, muito perto da sua total conclusão, está 100% comercializado. Os 13 apartamentos (além de duas lojas) estão todos vendidos e os principais clientes são franceses, além de três portugueses (um deles comprou a penthouse), dois brasileiros, um polaco ou um turco. Sérgio Ferreira, presidente da Coporgest, explica que os preços destas frações variaram entre os 700.000 (T1) e os 6 milhões de euros (penthouse/cobertura).

O empreendimento tem um total de 5.144 m² repartidos por 9 pisos, quatro dos quais subterrâneos em garagem.

Esta obra preservou as fachadas e reconstruiu o interior do edifício, «de forma a responder ao máximo de conforto exigido pelos tempos modernos». O projeto de arquitetura foi desenvolvido pela Coporgest, bem como a comercialização das frações. A construção ficou a cargo da UDRA.

Para Sérgio Ferreira, «o Duques de Bragança renasce como um marco para a cidade: pela história centenária do imóvel, pela sua localização num dos bairros mais exclusivos e cosmopolitas de Lisboa e pela qualidade excecional que foi posta na construção, muito acima da média do mercado. Do portfólio já edificado pela empresa este será seguramente um dos nossos ex-libris».

 

Investimento em Lisboa segue com €50M

A Coporgest tem em carteira em 2019 projetos residenciais no valor de 50 milhões de euros. Todos se situam em zonas históricas de Lisboa e são direcionados para o segmento de luxo, com valores por metro quadrado entre os 8.000 e os 10.000 euros.

«Neste momento, temos para concluir e entregar ainda em 2019 dois projetos: um na rua Ivens, que terminará em dezembro, e outro na rua Rodrigues Sampaio, em outubro/novembro. Temos já poucas unidades para venda, e parte dos apartamentos deste último são para arrendamento gerido por nós», explica Sérgio Ferreira.

«Em obra temos o Sottomayor Premium Apartments, próximo do Sottomayor Residências», a concluir em 2021, composto por 43 apartamentos e uma loja. «Temos também um prédio na rua Álvares Cabral (19 apartamentos e uma loja) que vai iniciar obra agora», a concluir também em 2021.

 

Lisbon Chiado Hotel marca o arranque de nova área de negócio

Além do segmento residencial, a Coporgest está também apostada no mercado turístico, e tem já aprovado e em construção o novo Lisbon Chiado Hotel.

A unidade de 5 estrelas está a surgir no Largo Rafael Bordalo Pinheiro, e terá 32 quartos e 13 suites. Será gerido e operado pela própria Coporgest.

Este hotel deverá abrir no final de 2020, segundo avançou Sérgio Ferreira.