Construção nova domina novos licenciamentos no Porto

Ana Tavares |
Construção nova domina novos licenciamentos no Porto

Os números resultam do Pipeline Imobiliário, apurado pela Confidencial Imobiliário, que mostra que a construção nova domina esta oferta, representando 1.266 fogos e 59% da carteira do concelho. A reabilitação urbana representa 864 fogos, 41% do total.

No entanto, e acordo com este relatório, a freguesia com maior dinâmica até junho foi a U. F. de Cedofeita, Stº Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, correspondente ao eixo da Baixa-Centro Histórico – destino preferencial para o mercado de reabilitação urbana. A zona concentrou 38% do total de fogos lançados no Porto no primeiro semestre e 69% do total de novos fogos em reabilitação.

Destaque também para Paranhos, que concentrou 22% do total dos novos fogos lançados. É aqui que se situam dois dos três maiores projetos (com 100 ou mais fogos) contabilizados no concelho no 1º semestre, um com 133 fogos e o outro com 100, ambos resultantes de construção nova. O terceiro situa-se em Campanhã, com 112 fogos e também de construção nova – freguesia que concentra 8% do pipeline residencial da cidade, um peso semelhante ao das freguesias de Ramalde (9%) e U.F. do Lordelo do Ouro e Massarelos (8%).  O Bonfim concentra 11% do pipeline residencial no semestre e a U.F. de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde 5%.

Entre janeiro de 2017 e junho de 2017, a carteira de fogos em processo de licenciamento no Porto soma as 7.796 unidades distribuídas poe 1.105 projetos residenciais, segundo a Ci.