Construção de habitação nova 1,8% mais cara

Ana Tavares |
Construção de habitação nova 1,8% mais cara

Esta variação é, no entanto, 0,3% inferior à registada no mês anterior. Esta desaceleração dos custos foi determinada essencialmente pela componente Materiais, que caiu 0,6% para 1,4% em abril, enquanto que a mão-de-obra se manteve nos 2,1%.

Estes números mostram também que as variações homólogas dos índices relativos a Apartamentos e Moradias ficaram-se nos 1,8% e nos 1,9%, respetivamente, depois de 2% e 2,2% no mês anterior.

De notar também que o Índice de Preços de Manutenção e Reparação Regular da Habitação também registou uma variação homóloga positiva de 2% em abril, menos 0,1% que no mês anterior. A componente Produtos caiu 1,3% para -1,2%, enquanto que os Serviços subiram 0,2% para os 2,9% em abril.

Todas as regiões NUTS II do Continente registaram aumentos nos preços da manutenção e reparação regular da habitação, à exceção do Algarve, que caiu 0,7%, e do Alentejo que não registou alterações. A Área Metropolitana de Lisboa registou a maior taxa de variação homóloga, de 4%.