Comissão Europeia pede acompanhamento “de perto” da habitação

Ana Tavares |
Comissão Europeia pede acompanhamento “de perto” da habitação

 

O aviso surgiu esta quinta feira, no âmbito das previsões de inverno (2028/2020), nas quais a comissão destaca que «a recente recuperação na construção residencial» contribuiu para alguma moderação na inflação dos preços das casas, que terá sido de 8,5% no 3º trimestre do ano passado (em termos homólogos), depois do «pico de 12,2% registado no início do ano», cita o Idealista.

Pierre Moscovici, comissário da Economia que apresentou o documento, acredita que uma quebra repentina na procura de casas é um perigo real para a estabilidade da economia e do sistema financeiro portugueses.

A CE prevê que os preços das casas devem ser mais moderados, refletindo a recuperação gradual na oferta, juntamente com o abrandamento da procura externa. Instabilidades dos mercados externos, como o brexit ou o abrandamento do crescimento da economia chinesa, podem explicar uma redução da procura. 

No 9º relatório sobre Portugal, a comissão destaca que «o aumento nos preços das casas está, em grande medida concentrado nas principais cidades de Lisboa e Porto, onde as atividades do turismo se estão a expandir para as áreas residenciais, com um impacto negativo na habitação a preços acessíveis para os grupos socialmente vulneráveis».