Co-living criativo Samesame abre em Lisboa

Ana Tavares |
Co-living criativo Samesame abre em Lisboa

 

O projeto inspira-se no co-housing dinamarquês dos anos 60 e quer ser um epsaço para trabalhar e viver em comunidade.

Sob o mote “Rest, Create and Linger”, o alojamento tem zonas privadas e partilhadas, incluindo serviço de hotelaria, mobília, eletrodomésticos, limpezas e todas as despesas incluídas. Tem como principal público alvo os trabalhadores deslocados que procuram viver em comunidade, num mínimo de 1 mês e máximo de 6 meses.

Filipa Meireles, uma das fundadoras do novo espaço, explica à NiT que «o nosso objetivo não é alugar casas a estrangeiros, como fazem os alojamentos locais. O nosso propósito é mesmo a construção de uma comunidade e de um espaço que apoia e celebra o património humano e cultural. Queremos construir, inspirar e desenvolver uma comunidade multicultural de criativos e artistas e a partir daí criar projetos que consigam ter um impacto positivo no mundo».

Gonçalo Caldeora, outro dos fundadores, explica que este «não é apenas um sítio onde se dorme e trabalha, mas também onde se aprende, se conhece, se cria, se explora e mais do que tudo, onde se é ativo na sociedade».

O Samesame é repartido por dois edifícios contíguos (um já aberto e outro em fase de conclusão), no Beco do Rosendo e na Rua da Madalena 214. Neste último, com 5 pisos, o primeiro andar é destinado ao cowork BECO, e os restantes pisso para co-living, incluindo salas comuns e T0 a T2. Já os preços, começam nos 700 euros por mês. Os pacotes podem incluir co-living, co-working e co-living, e ainda acesso ilimitado a todos os eventos do espaço.