Casas ficam 15,6% mais caras em setembro

Ana Tavares |
Casas ficam 15,6% mais caras em setembro

 

Segundo os dados revelados pela Confidencial Imobiliário no âmbito do Índice de Preços Residenciais, que acompanha a evolução dos preços de transação no mercado residencial, a subida foi de 1,3% face a agosto.

Os números registados confirmam que os preços no mercado habitacional se mantêm em aceleração, com as subidas homólogas a posicionarem-se acima dos 10% desde julho de 2017. Só este ano, as valorizações foram sempre superiores a 13,5%, atingindo um máximo de 16,4% em maio e mantendo-se em torno dos 15% desde então.

Os preços recuperam desde o último trimestre de 2013, mas durante cerca de dois anos, as subidas homólogas mantiveram-se abaixo dos 3%. Só em 2016 a valorização começou a acelerar, com os preços a apresentarem subidas de 3,5% a 9% até meados do ano passado e a acentuarem de forma expressiva o ritmo de crescimento desde então, com variações homólogas sempre a dois dígitos.

Ainda segundo a Ci, este ciclo de sucessivas subidas levou a que os preços estejam 10,6% acima do período pré-crise (2007) e que tenham recuperado 41,4% face ao seu nível mais baixo (em junho de 2013).