C21: Proprietários podem ter “claros benefícios” aderindo ao PAA

Ana Tavares |
C21: Proprietários podem ter “claros benefícios” aderindo ao PAA

Analisando o potencial do programa e as suas principais vantagens ou limitações, a Century 21 fez várias simulações a partir de uma amostra de 119 habitações em contratos de arrendamento reais celebrados este ano através da rede (cerca de ¼ no concelho de Lisboa e 60% na AML), concluindo que em mais de metade dos casos os senhorios seriam beneficiados, mesmo tendo em conta a contratação do seguro obrigatório e sem contabilizar a vantagem decorrente de uma possível isenção de IMI por parte dos municípios.

Segundo as contas da C21, «esta vantagem traduzir-se-ia num benefício médio anual entre os 863 euros por ano no cenário mais penalizador e de 1.160 euros no cenário mais favorável. A esta vantagem acresceria a redução do risco ao abrigo deste programa».

Do lado da procura, as vantagens «são evidentes, dado que o número de famílias abrangido seria de 71 (para esta amostra). A adesão ao PAA representaria para as famílias uma poupança média de 1.176 euros por família».

Ricardo Sousa, CEO da C21 Portugal, comenta que «apesar este programa não ser uma solução para todos os proprietários nem para todos os inquilinos - em particular nas zonas de maior pressão turística - esta simulação conclui que num número muito significativo de casos esta opção poderá ser vantajosa, tanto para os proprietários como para as famílias arrendatárias».

E salienta o «estímulo à profissionalização do mercado de arrendamento em Portugal - que atualmente atinge níveis de informalidade muito preocupantes – dado que a opção de formalização dos contratos de arrendamento com o PAA, os benefícios fiscais e de segurança, são fatores que compensam abandonar a prática de não efetuar contratos de arrendamento formais e registados, o que aporta maior rigor e transparência ao mercado, aumenta a segurança para os proprietários e arrendatários, e promove a eficiência fiscal», completa.

No entanto, a C21 ressalva que a adesão ao programa «deve ser ponderada e analisada, caso a caso. A marca está já a formar a sua rede de consultores imobiliários para poder prestar todos os esclarecimentos sobre o Programa de Arrendamento Acessível, quer aos proprietários, quer às famílias», pode ainda ler-se em comunicado.