Amadora e Porto registam as maiores subidas dos preços da habitação

Ana Tavares |
Amadora e Porto registam as maiores subidas dos preços da habitação

De acordo com os números agora publicados pelo INE, a Amadora registou uma subida homóloga dos preços medianos de venda de 22,7% para os 1.304 euros/m², enquanto que o Porto registou uma subida de 22% para os 1.682 euros/m².

Neste período, o preço mediano de alojamentos familiares atingiu os 1.011 euros/m² a nível nacional, mais 1,5% face ao trimestre anterior e mais 6,4% face ao trimestre homólogo. Desde 2016 a subida foi de 21,8%, quando o preço mediano a nível nacional era de 830 euros/m².

Destaque também para os aumentos expressivos de Lisboa, a subir 20,5%, e Braga, com 18,2%. Vila Nova de Gaia subiu 14,7% e o Funchal 9,8%.

 

Algarve tem o preço mediano mais caro do país

Algarve e Lisboa, estas foram as duas sub-regiões com os preços mais elevados do país, com valores medianos de venda de 1.562 euros/m² e 1.355 euros/m², respetivamente. Lisboa município, com 3.111 euros/m², registou o preço mediano de venda de habitação mais elevado.

No período analisado, 46 municípios situados maioritariamente no Algarve e na Área Metropolitana de Lisboa registaram um preço mediano de venda superior ao valor nacional de 1.011 euros/m², entre os quais Cascais (2.389 euros/m²), Oeiras (2.062 euros/m²), Loulé (1.983 euros/m²), Lagos (1.800 euros/m²), Albufeira (1.761 euros/m²), Porto (1.682 euros/m²), Tavira (1.669 euros/m²), Odivelas (1.563 euros/m²), Lagoa (1.544 euros/m²), Funchal (1.542 euros/m²) e Vila Real de Santo António (1.534 euros/m²).

A capital tem três freguesias com preços superiores a 4.000 euros/m², nomeadamente Santo António, Santa Maria Maior e Misericórdia.