180.000 casas foram vendidas em 2018

Ana Tavares |
180.000 casas foram vendidas em 2018

 

Os números foram avançados pela associação ao DV, e notam que os números finais e oficiais só serão apresentados em março pelo INE, mas já se sabe que no último trimestre de 2018 o ritmo de vendas deverá ter sido semelhante ao do resto do ano, e até setembro foram vendidas 132.000 habitações.

A APEMIP prevê que, no conjunto do ano, as vendas se tenham ficado pelas 176.000 e as 183.000 habitações, valores mais elevados que a soma do total dos anos de 2013 e 2014 juntos.

Se as estimativas se confirmarem, foi vendida uma média de 500 casas por dia, um aumento de 125% face a 2014.

Em 2018, os compradores estrangeiros terão representado 20% das vendas, num total de 35.000 casas, uma ligeira quebra de representatividade face aos 25% de 2017, o que se explica com o aumento da procura interna, segundo o presidente da APEMIP, Luís Lima. Brasileiros e franceses continuam a ser os estrangeiros que mais procuram casa no nosso país.

A previsão é que as vendas continuem a aumentar este ano, a par dos preços, depois de o valor médio de avaliação bancária ter atingido os 1.215 euros por metro quadrado em novembro, o valor mais alto de sempre.

Luís Lima nota que «o mercado imobiliário continua a ter todas as condições para continuar a crescer, e é o que acreditamos que aconteça, ainda que se possa assistir a uma ligeira desaceleração do crescimento, que também é natural. Por outro lado, o facto de este ser um ano de eleições deixa o mercado apreensivo, o que poderá ter algumas repercussões. De qualquer modo, se tudo se mantiver como está e se não forem tomadas nenhumas medidas que possam influenciar negativamente o bom momento deste setor, acredito que a rota de crescimento se mantenha».