The Edge Group arranca operação do Espaço 7Rios

Ana Tavares |
The Edge Group arranca operação do Espaço 7Rios

Situado na zona de Sete Rios, o espaço tem um total de 12.600 m² de comércio, serviços e escritórios. Foi concebido «para proporcionar ofertas multiusos para as empresas e população desta zona».

Entre as empresas que já ocupam este espaço, estão a Intelcia ou a BitSight, que ocupam áreas de 2.340 e 1.290 m², respetivamente. A componente de escritórios tem também um Leap Business Centre, um serviço de escritórios privados e de cowork para pequenas e médias empresas, num total de 340 postos de trabalho.

O Espaço 7Rios tem também um restaurante Origem – Cozinha Saudável (além de espaço para outras lojas ainda em comercialização), ginásio, auditório com 167 lugares, área de esplanada interior e exterior e zonas de lazer preparadas para a realização de eventos. Tem também parque de estacionamento público com 367 lugares e segurança 24h por dia.

José Luís Pinto Basto, CEO do The Edge Group, explica que «o Espaço 7Rios é um projeto emblemático e inovador com uma oferta multiusos, preparado para dar uma resposta abrangente, não só às necessidades de quem escolheu este local para o seu escritório, como para o tecido empresarial desta zona de Lisboa, para os residentes na área envolvente ou os utilizadores da oferta hoteleira circundante».

Este responsável explica que «o Espaço 7Rios tem como principal valência a oferta de um espaço harmonioso e convergente, que representa um saudável equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Alinhado nesta lógica, o Espaço 7Rios pretende oferecer um conjunto de áreas comerciais destinadas a serviços de conveniência como: restauração, farmácia, ótica, lavandaria, papelaria, decoração, entre outros, como forma de diversificar e complementar a oferta, com o objetivo de potenciar a experiência de todos os utilizadores, num mesmo espaço», conclui.

Em entrevista à Vida Imobiliária em 2018, José Luís Pinto Basto avançou que este projeto representaria um investimento de cerca de 20 milhões de euros. No âmbito da reconversão das Twin Towers, chegou a estar planeado um centro comercial de proximidade, mas «a procura do mercado determinou o uso de escritórios», disse na altura o responsável.