Primeiros espaços do Hub Criativo do Beato operacionais no 1º trimestre

Ana Tavares |
Primeiros espaços do Hub Criativo do Beato operacionais no 1º trimestre

A informação foi avançada esta semana por José Mota Leal, Project Manager da Startup Lisboa, durante a apresentação do estudo “What workers want Portugal 2019”, da Savills.

De acordo com o responsável, «entregamos os edifícios no estado em que se encontram aos parceiros, que investem na sua requalificação e os adaptam. A contrapartida é não pagarem renda pelo espaço até recuperar o investimento».

De momento, quase todos os edifícios estão já contratados e os primeiros estão a ser reabilitados, e são já conhecidos alguns nomes que vão ocupar o Hub, nomeadamente o coworking Factory, com 10.000 m², a Browers Beato, ou a própria Startup Lisboa. Vai também surgir no coletivo um núcleo museológico ou um silo de estacionamento automóvel, além de um novo edifício construído de raiz com 7.000 m².

Já a Câmara Municipal de Lisboa fica encarregue de toda a infraestruturação dos espaços exteriores, uma obra que arranca «nas próximas semanas».

Por outro lado, está em processo de conclusão o concurso para o edifício de co-living: «O júri está agora a analisar as propostas dos candidatos. O contrato deverá ser assinado até ao final do ano».

O Hub Criativo do Beato vai ter um total de 35.000 m² de área de construção. «Queremos atrair tudo o que compõe um ecossistema empreendedor, incluindo marcas globais ligadas À tecnologia e indústrias criativas, criando uma comunidade». O objetivo é «acelerar o desenvolvimento» desta zona da cidade e «posicionar Lisboa como mais empreendedora e criativa».