Porto Office Park está 50% comercializado

Ana Tavares |
Porto Office Park está 50% comercializado

O imóvel, que representa um investimento de 100 milhões de euros da holding Violas Ferreira, começou a ser comercializado em janeiro em regime de co-exclusividade pela CBRE, C&W, JLL e Predibisa. De acordo com Tiago Violas, do grupo Violas Ferreira, que falava durante o mais recente Pequeno Almoço Conferência VI/C&W em Lisboa, metade do edifício já tem inquilino definido.

Empresas de shared services têm sido das mais ativas no que toca a procura. Para o responsável, que não avança nomes dos futuros inquilinos, o principal driver do mercado do Porto atualmente «tem a ver com os talentos. O porto tem muitas universidades, e as empresas internacionais detetaram isso». Agora, são necessários «espaços de qualidade no Porto, onde não havia escritórios com mais de 1.500 m² por piso nem novos espaços que seguissem as novas tendências».

O mercado tem atualmente tudo para dar certo, mas Tiago Violas considera que «o nosso maior risco é sempre o poder político. Que não mate o ciclo virtuoso que estamos a viver», comenta.