Ocupação de escritórios vai fechar o ano acima dos 200.000 m²

Ana Tavares |
Ocupação de escritórios vai fechar o ano acima dos 200.000 m²

 

Quem o diz é a Savills, no seu mais recente relatório sobre o mercado de escritórios de Lisboa, segundo o qual entre janeiro e novembro foram fechados 204 negócios, que somaram os 191.105 m², mais 23% que no período homólogo do ano passado.

Rodrigo Canas, diretor do departamento de Escritórios da Savills, comenta que «nesta reta final, podemos afirmar que 2018 foi um ano muito sólido para o Mercado de Escritórios de Lisboa. Apesar da notória falta de oferta nova, o mercado tem conseguido responder à elevada procura verificada, resultado não só da conjugação de fatores de estabilidade económica, mas de uma confiança e positivismo por parte das empresas e da crescente exposição da cidade de Lisboa a outros mercados».

Nota ainda que «em 2018 assistimos também à recuperação de performance de algumas zonas de mercado, anteriormente consideradas zonas descentralizadas e que agora, pela falta de oferta qualificada no centro da cidade, se assumem como zonas de eleição para um leque considerável de ocupantes».

A Savills destaca também como tendência deste ano o aumento da área média contratada, que aumentou 42% para os 937 m².

Entre janeiro e novembro, as zonas que registaram maior volume de absorção foram o Corredor Oeste, responsável por 52.546 m² colocados, seguido pela Zona Emergente e pelo CBD, com 37.143 m² e 27.434 m² colocados, respetivamente.