Escritórios registam o seu melhor ano desde 2009

Ana Tavares |
Escritórios registam o seu melhor ano desde 2009

 

Os números foram esta semana divulgados pelas consultoras JLL e Savills, que se apoiam no LPI. Segundo a Savills, «pode-se afirmar que 2018 é o melhor ano no mercado de escritórios de Lisboa desde 2009. Nos primeiros 10 meses de 2018, a área contratada é sensivelmente igual à área contratada em todo o ano de 2017, o anterior ano record deste período», explica Hugo Mendes, do departamento de Consultoria da empresa. Explica ainda que «2018 foi igualmente um ano bastante positivo relativamente à área pré-arrendada. Este facto demonstra não só a elevada procura por novos espaços de escritórios como a boa aceitação dos empreendimentos que ainda se encontram em fase de desenvolvimento ou construção».

Mariana Rosa, diretora de Office Agency da JLL, comenta em comunicado que «o ano passado foi o melhor ano desde 2008 e temos agora a certeza de que 2018 o irá superar de forma expressiva. Numa perspetiva mais conservadora que considera uma taxa de crescimento anual de 15% a 20%, e não os atuais 30% com que terminamos outubro, diria que temos condições de chegar perto dos 200.000 m2 de área ocupada este ano», prevê.

Segundo a especialista, «a consistência do crescimento económico, a confiança das empresas já presentes no mercado e a capacidade de atração de novas empresas internacionais são alguns fatores que têm determinado a dinâmica da procura». Houvesse mais oferta moderna, «a atividade poderia ser bastante mais significativa se existisse oferta disponível adequada aos requisitos da procura latente».

De janeiro a outubro, foram registadas 190 operações de colocação de escritórios, menos 28 que em igual período do ano passado, sendo que o Corredor Oeste registou 51 das transações ocorridas.

No mês de outubro, foram colocados 21.897 m², mais 31% que no mês anterior e mais 85% face a outubro do ano passado. A Nova Zona de Escritórios foi a mais dinâmica, concentrando 34% da absorção mensal, tendo as duas maiores operações registadas no mercado, nomeadamente a colocação de 3.300 m² da Teleperformance no edifício Marconi e da ocupação de 2.996 m² no Espaço Sete Rios pela Intelcia.