Escritórios: Junho excecional somou 1/3 da ocupação do semestre

Ana Tavares |
Escritórios: Junho excecional somou 1/3 da ocupação do semestre

Entre janeiro e junho foram colocados 109.751 m², mais 26% face a igual período do ano passado. Os números são divulgados no Office Flashpoint da JLL, com base no LPI. Mostram que em junho a ocupação subiu 120% face ao mês anterior e 130% face a junho de 2018, num total de 23 operações com uma área média de 1.750 m².

Segundo a JLL, o desempenho do mês foi fortemente influenciado pela instalação da KPMG e da PLMJ no edifício FPM 41, ocupando 9.950 m² e 6.950 m², respetivamente.

Por isso mesmo, o Prime CBD de Lisboa foi a zona mais dinâmica do mês, concentrando 49% da atividade, seguida da zona 3, com 24% e três das maiores operações do mês, nomeadamente a colocação de 5.471 m² da Teleperformance no edifício Open, e da KW em 1.934 m² no edifício José Malhoa 22.

No total do semestre, foram contabilizadas 97 operações, com uma área média de 1.131 m², com o Parque das Nações a representar 24% da área ocupada, e o Prime CBD 23%.

Só a consultora foi responsável pela colocação de 35% da área negociada no semestre. Mariana Rosa, Mariana Rosa, diretora de Office/Logistics Agency and Transaction Manager da JLL, comenta em comunicado que «no final de abril a ocupação estava 14% abaixo de 2018 e em maio acabou por nivelar-se, chegando agora ao final do semestre com a atividade a distanciar-se em alta de 2018, após um junho excecional. Esta inversão resulta da disponibilização de nova oferta no mercado, algo que já prevíamos».

Mas a responsável alerta que «a procura existe e está a crescer, mas o mercado só conseguirá expandir-se com reforço do stock, como mostra este mês de fecho do semestre. Será esse o motor para o crescimento do mercado este ano».