Escritórios: Falta de produto leva a arranque de ano “lento”

Ana Tavares |
Escritórios: Falta de produto leva a arranque de ano “lento”

Em abril, o take up representou um total de 12 operações e uma área média de 907 m². Em termos acumulados, foram registadas 55 operações, com uma área média de 958 m².

Segundo o Office Flashpoint da JLL, 64% da área colocada em abril diz respeito à expansão de área ou à entrada de novas empresas em Lisboa, como foi o caso da ocupação de 3.928 m² por parte da Conectys no edifício EUA43, a maior operação o mês. Os restantes 38% do take up dizem respeito à mudança de edifício, de que são exemplo a tomada de 1.140 m2 no edifício 5 de Outubro 124 pela PKF e de 1.134 m2 pela EGEAC no edifício Duarte Pacheco 26.

A Zona 7 foi a mais dinâmica do mês, representando 36% do take up, que diz respeito à colocação da Conectys.

Face a março, o mês representou uma descida de 60% no take up, e de 48% face a abril de 2018. Em termos acumulados, a colocação desceu 14% face a igual período de 2018.  

Mariana Rosa, Diretora de Office / Logistics Agency and Transaction Manager da JLL, explica que «o arranque do ano tem-se verificado mais lento do que o ano anterior, maioritariamente devido à falta de produto disponível no mercado. Por isso, é expetável que a atividade cresça conforme apareçam novos espaços durante o ano, ao longo do qual está planeada a conclusão de 78.000 m² de escritórios».