Volume de negócios da Remax Collection aumenta 47%

Ana Tavares |
Volume de negócios da Remax Collection aumenta 47%

 

O “braço” premium da Remax foi a imobiliária a operar no segmento de luxo que mais cresceu no 1º semestre do ano, com um aumento do número de transações de cerca de 51%, e do volume de negócios de 44%. Ao longo do 2º semestre, cresceu 49% em volume de negócios e 37% a nível das transações, face a igual período do ano anterior.

62% (face aos 57,4% de 2016) das transações da Remax Collection foram feitas por portugueses, seguidos dos brasileiros e chineses, com 9% e 5%, respetivamente, que superaram os franceses e russos, que lideravam em 2016.

A maior parte do mercado Collection centrou-se em 2017 no distrito de Lisboa, que representou 87% das transações e 89% do volume de negócios. O distrito de Faro representou 4% do volume de transações, e Setúbal e Porto cerca de 3% ambos.

Segundo a empresa, os apartamentos foram a tipologia de imóvel favorita no ano passado, representando 72% do volume de transações do segmento premium da Remax, equivalente a 58% do volume de negócios total. T3 e T4 foram os mais procurados. Já as moradias representaram 17% do volume de transações e 22% do volume de negócios total.

Beatriz Rubio, CEO da Remax Portugal, comenta em comunicado que estes resultados «deixam-nos duplamente orgulhosos. Quer porque este crescimento reforça a convicção da recuperação do poder de compra em Portugal, quer porque consolida inequivocamente a nossa liderança neste segmento. Não obstante o crescente interesse pelo nosso país, a verdade é que são os portugueses quem mais investe em imóveis com estas características, o que é um indicador de sustentabilidade e reduz o risco de volatilidades inerentes à imagem externa do país».