VALORIZAÇÃO DOS ATIVOS DA SIERRA IMPULSIONA RESULTADOS DA SONAE

Susana Correia |
VALORIZAÇÃO DOS ATIVOS DA SIERRA IMPULSIONA RESULTADOS DA SONAE

Em comunicado, o grupo revela que o volume de negócios cresceu 8% para os 2.603 milhões de euros, enquanto o resultado líquido cresceu 39,7% no segundo trimestre, para os 65 milhões de euros. Já o resultado indireto aumentou 22 milhões de euros no 1º semestre, atingindo os 33 milhões de euros, «beneficiando principalmente do efeito positivo da avaliação de ativos da Sonae Sierra».

Olhando para performance das diferentes áreas de negócio do grupo, a Sonae RP (a unidade de negócio responsável pela gestão do portfólio de imobiliário de retalho) encerrou o 1ºsemestre de 2016 com 21 lojas Continente, 62 lojas Continente Modelo e 26 lojas Continente Bom Dia no seu portfólio, correspondendo a um valor contabilístico bruto de 1.272 milhões de euros, o equivalente a um valor contabilístico líquido de 914 milhões de euros.

Tendo em vista o objetivo de redução do freehold, nos últimos anos a Sonae implementou uma estratégia de monetização de ativos. Assim, e depois de no 1º semestre de 2016 ter concluído três operações de sale & leaseback no montante de 230 milhões de euros, e que se traduziram num ganho de capital de 64 milhões de euros; no 1º semestre de 2017 a empresa não efetuou qualquer transação neste formato. Contudo, já em julho de 2017, conclui a venda, por 35 milhões de euros, de quatro ativos de retalho alimentar, gerando um ganho de capital de cerca de 10 milhões de euros. Embora o seu resultado só esteja refletido nas contas do 2º semestre, na sequência desta transação o freehold da Sonae MC fixou-se nos 48%, ao passo que no caso do retalho especializado (Worten e Sportzone) se situou nos 22%.

Reciclagem de capital continua na Sierra

No que diz respeito ao negócio dos centros comerciais, a Sonae Sierra prosseguiu a sua atividade de promoção em linha com o planeado, contando com vários projetos em curso: o Nuremberg (Alemanha), Málaga McArther Glen Designer Outlet (Espanha), a expansão do Norteshopping e do Colombo (Portugal), o Jardín Plaza Cucuta (Colômbia) e o Zenata (Marrocos).

A estratégia de reciclagem de capital continua na Sonae Sierra, que no 2º trimestre de 2017 criou uma joint-venture (15%-85%) com a AXA IN – Real Estate Assets, para a compra do Area Sur Shopping Centre, em Jerez, Espanha. A AXA é a detentora da maioria do capital, sendo a Sonae Sierra o parceiro operacional. Ainda no lado do investimento, a ORES Socimi, lançada em parceria com o Bankinter e em que a Sonae Sierra é também o parceiro operacional, continuou a adquirir ativos na Peninsula Ibérica. No 2º trimestre, este veículo adquiriu três novos ativos para o seu portfólio: um hipermercado em Espanha, e um stand alone e um retail center em Portugal.

Em teros operacionais, no primeiro semestre, a operação da Sonae Sierra registou tacas de ocupação de 96,9% na Europa e de 92,3% no Brasil, com as vendas dos lojistas a crescer 11,9% no 1º semestre. Já o volume de negócios da Sonae Sierra aumentou 8 milhões de euros, totalizando os 108 milhões de euros na primeira metade do ano.