The Edge Group quer «ser fornecedor de referência de serviced offices»

Ana Tavares |
The Edge Group quer «ser fornecedor de referência de serviced offices»

 

As famosas Twin Towers vão ter a partir das próximas semanas um novo centro empresarial com um Leap Center de 2.500 m² apoiado por 400 m² de componente de retalho, incluindo ainda ginásio, clínica, restaurantes ou um espaço cultural multiusos, num total de 15.000 m² de construção e 370 lugares de estacionamento.

O novo projeto da holding liderada por José Luís Pinto Basto vai desenvolver-se «à semelhança do que fizemos no Espaço Amoreiras, que se revelou um sucesso. Abrimos em 2011 e até agora estivemos sempre com 100% de ocupação», diz o responsável em entrevista à VI.

Para o mesmo espaço, o The Edge Group chegou a ter planeado um centro comercial de proximidade, o conceito Small. Mas, segundo o CEO do grupo, «a procura do mercado determinou o uso de escritórios». O imóvel adquirido aos proprietários espanhóis, que o responsável não especificou, vai focar-se neste segmento, aplicando o conceito Small numa área menor.

O Espaço 7 Rios vai incluir espaços de trabalho mais e menos convencionais com diferentes dimensões para diferentes tipos de empresa, incluindo um novo Leap Center, um conceito que o The Edge Group já tem instalado noutros espaços na cidade. Esta é «uma oferta mais direcionada para pequenas e médias empresas. Vamos ter uma área mais e outra menos flexível», formando «um ecossistema empresarial onde queremos dar espaço para que as empresas trabalhem e atividades complementares aos trabalhadores». Tudo isto numa altura em que «a “desformalização” do espaço de trabalho é cada vez mais uma tendência. Oferecemos cada vez mais flexibilidade nos contratos, mesmo nos escritórios convencionais, soluções rápidas e chave-na-mão». E garante à VI que o grupo quer «ser fornecedor de referência de serviced offices» em Portugal.

O espaço deverá abrir em outubro com 70% de ocupação, sendo que José Luís Pinto Basto não adianta nomes dos primeiros ocupantes, admitindo que a maior procura é sentida no segmento das tecnologias, «talvez o setor que está a crescer mais em Portugal este ano. Acreditamos que as poucas áreas que nos faltam vão ser preenchidas muito rapidamente». Os valores rondam os 13 euros por metro quadrado por mês, «um bom valor principalmente tendo em conta as acessibilidades que a zona de Sete Rios tem».  

Entre a compra do ativo e a sua renovação, o The Edge Group estima um investimento de 20 milhões de euros, um «desafio» que «tem muito a ver com o nosso ADN, vemos oportunidades onde os outros não veem e criamos valor a partir delas», nota o responsável. Trata-se de uma aposta de futuro para o grupo, já que «hoje em dia as grandes empresas também querem escritórios flexíveis, o modelo do contrato tradicional a 10 anos com gabinetes tem de mudar. Cada vez mais os novos escritórios se distanciam desse modelo».