Reabilitação Urbana no Centro Histórico de Braga quase duplica num ano

Fernanda Cerqueira |
Reabilitação Urbana no Centro Histórico de Braga quase duplica num ano

As palavras são de Ricardo Rio, Presidente da Câmara Municipal de Braga, que se revela «muito satisfeito» não só com o crescente interesse pelo Centro Histórico da cidade, mas também pela dinâmica sentida em toda a cidade.

Nos últimos três anos foram licenciadas intervenções em 154 edifícios. Se forem somadas a estas as obras que estão isentas de controlo prévio (obras de conservação), «é possível constatar que o número de edifícios que começaram a ser intervencionados em 2016 afetaram, ou irão afetar nos próximos tempos, cerca de 9% de todo o edificado do Centro Histórico de Braga», composto por aproximadamente 2.500 edifícios.

Para Miguel Bandeira, vereador do Pelouro da Regeneração, «o exemplo da política de reabilitação e regeneração urbana que tem vindo a ser desenvolvida no Centro Histórico, irá brevemente contagiar-se nas novas áreas de Reabilitação Urbana mais recente». E reconhece que «a reabilitação deixou de ser protagonizada pelo Estado e pelas autarquias, cabendo agora sobretudo à iniciativa privada o desafio da regeneração urbana».

Mercado imobiliário de Braga afirma-se no panorama nacional

O ano de 2016 ficou, também, marcado pela inauguração do centro comercial Nova Arcada e pelo anúncio de grandes investimentos económicos tais como a expansão da Bosch, orçada em cerca de 38 milhões de euros, ou do investimento do grupo português Vila Galé num hotel de quatro estrelas, com 127 quartos, e que nascerá da reabilitação do antigo complexo do Hospital de São Marcos.