Preços das casas sobem 18% em Lisboa e Porto

Ana Tavares |
Preços das casas sobem 18% em Lisboa e Porto

 

Os aumentos foram de 18,1% para os 2.438 euros/m² na cidade de Lisboa, e de 17,6% para os 1.307 euros/m² na cidade do Porto, com destaque também para a Amadora, com uma subida de 15,9%. Braga registou o menor crescimento dos preços de venda, de 5,4%, entre as cidades com mais de 100.000 habitantes.

A informação consta das Estatísticas de Preços da Habitação do INE, segundo as quais no período em análise foram 39 os municípios que apresentaram um preço mediano de venda da habitação acima do valor nacional, 13 dos quais no Algarve, 11 em Lisboa e 5 no Porto. Lisboa registou o preço mediano de vendas mais elevado do país, acima dos 1.500 euros por metro quadrado. Tem também a maior amplitude de preços entre municípios, de 1.851 euros, sendo o valor mais baixo registado na moita, de 587 euros/m², e o mais elevado em Lisboa, de 2.438 euros/m².

Em Cascais, o preço mediano por metro quadrado fixou-se nos 1.922 euros no período em análise. Loulé registou 1.763 euros por metro quadrado, seguido por Lagos, com 1.687 euros, ou Oeiras com 1.642 euros por metro quadrado.

 

Centro histórico de Lisboa ao rubro cresce mais de 50%

Foram as freguesias do centro histórico de Lisboa que registaram os preços medianos mais elevados do mercado, nomeadamente Santo António e a Misericórdia, com valores de 3.827 euros/m² e 3.520 euros/m², respetivamente.

Foi nestas mesmas freguesias que se registou o maior aumento homólogo dos preços medianos, de 54,3% e 30,2%, respetivamente.

As freguesias da Estrela, Avenidas Novas, Campo de Ourique, São Vicente, Belém ou Arroios registaram também, segundo o INE, um preço mediano dos alojamentos vendidos acima do valor da cidade de Lisboa de 2.438 euros/m², e taxas de variação acima dos 18,1% do município. Marvila registou o menor preço mediano de alojamentos vendidos, fixando-se nos 1.483 euros/m². Foi também a única freguesia com uma diminuição no preço da habitação face ao 4º trimestre de 2016.