Portugueses esgotam residências do antigo Viva Marinha

Fernanda Cerqueira |
Portugueses esgotam residências do antigo Viva Marinha

 

A componente residencial daquele que foi considerado o ‘melhor resort hotel’, nos International Hotel Awards, está praticamente esgotada. Das 29 casas de luxo (de um total de 57) disponíveis para venda, 22 foram vendidas em menos de um ano. Entre os clientes destacam-se os portugueses, a maioria das casas – quase 40% – foi adquirida por nacionais. No ranking os portugueses são seguidos pelos brasileiros e os franceses ocupam o terceiro lugar. «Confesso que foi uma surpresa para nós esta procura por parte dos clientes nacionais, até porque compraram não tanto para residir mas para investimento. Mas a lógica tem a ver com a rentabilidade que aqui se oferece, muito menos volátil que qualquer aplicação na banca portuguesa ou na Bolsa. E ao fim do dia não se tem um papel, chega-se aqui e é real, existe alvenaria, um edifício, tem mobília...», comenta Carlos Leal, administrador da United Investment Portugal (UIP), em declarações ao Expresso.

A UIP adquiriu o Sheraton Cascais Resort, situado na Quinta da Marinha, em tempos propriedade do grupo Champalimaud, há um ano. Com as obras de conservação e renovação na componente residencial do resort, das áreas comuns e do hotel, e a fase de vendas quase concluída, a UIP prepara-se para anunciar, dentro de poucas semanas, um novo projeto em Lisboa. «É um certo tipo de hotel, para um certo nicho de mercado que acreditamos que existe e que nós temos o know-how e a capacidade para valorizar», conta Carlos Leal, ao Expresso.