Pavilhão Rosa Mota terá capacidade para acolher mais de 8.600 pessoas

Fernanda Cerqueira |
Pavilhão Rosa Mota terá capacidade para acolher mais de 8.600 pessoas

«Vai ser um equipamento fantástico para a cidade», assinalou o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, que falava durante a sessão de apresentação do projeto de reabilitação e reconversão do Pavilhão Rosa Mota, no dia 19 de julho.

As obras, orçadas em cerca de oito milhões de euros, irão converter o Pavilhão Rosa Mota no novo equipamento multiusos da cidade, com capacidade para acolher eventos nacionais e internacionais, de natureza desportiva e cultura.

O projeto desenvolvido revela uma estrutura e organização que permitem a formação de vários espaços de congresso, com capacidade para receber até 4.727 pessoas. A oferta de um novo centro de congressos à cidade foi uma das principais bandeiras desta obra, complementando as funções já desempenhadas pela Alfândega. O futuro equipamento irá resolver «um conjunto de deficiências que há na cidade», referiu Rui Moreira, citado pelo Porto.pt. O Porto «é muito atraente para congressos, mas a Alfândega não chega; falta um pavilhão desportivo e para concertos sabemos que a capacidade instalada, nomeadamente o Coliseu, não é suficiente». Além de que «vai resultar numa receita para a Câmara e não numa despesa», realçou o autarca. Com efeito o investimento será assegurado pelo consórcio ‘Porto Cem Porcento Porto’, que assume a exploração do equipamento por 20 anos.

As obras têm arranque previsto para o mês de outubro e devem prolongar-se pelos dois próximos anos, até maio de 2019.

Os Jardins do palácio de Cristal continuarão abertos ao público e cada vez mais bonitos. A autarquia portuense tem em curso um investimento, na ordem dos 1,3 milhões de euros, na recuperação dos jardins, «um património riquíssimo que é importante preservar e colocar ao serviço de todos», explicou o presidente da Câmara do Porto. 

Foto: Miguel Nogueira / Porto.pt