Parcerias internacionais são aposta de angola para melhorar o turismo

Ana Tavares |
Parcerias internacionais são aposta de angola para melhorar o turismo

 

Quem o diz é o ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, que defende que este tipo de medidas podem facilitar a atração de mais turistas, como a simplificação na emissão de vistos, por exemplo.

O governante falava na abertura da 1ª reunião ordinária da Comissão Multissectorial da Hotelaria e Turismo, na qual participaram também os titulares das pastas da Cultura, Ambiente, Juventude e Desportos, Agricultura, Interior, Finanças, Relações Exteriores, Saúde, Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Comércio, Comunicação Social, Transportes e Energia e Águas.

Citado pela Lusa, destacou a necessidade de proceder ao mapeamento, cadastramento e organização dos recursos turísticos existentes em Angola, bem como segmentar os mercados emissores de turistas, categorizando os produtos turísticos angolanos. Defende a continuidade dos projectos de implementação dos pólos turísticos de Cabo Ledo e Calandula, ou a elaboração de uma estratégia de promoção internacional do projeto KAZA Okavango-Zambeze.

Manuel Nunes Júnior considera que cabe ao Estado criar condições institucionais, macro-económicas e de segurança para benefício do turismo, contando com o apoio do sector privado, associações e operadores turísticos. E acredita que a comissão multi-sectorial se deve reunir com «a periodicidade desejada» para traçar um programa concreto de atracção turística: «este é é o desafio que lanço ao concluir esta minha intervenção, esperando resultados que indiciem um firme compromisso com a arrecadação de receitas e criação de empregos e cada vez maior mobilização do investimento privado nacional e estrangeiro para o sector turístico».