Obras públicas quebram em fevereiro

Ana Tavares |
Obras públicas quebram em fevereiro

 

Este valor coloca o total apurado nos 2 primeiros meses do ano nos 178 milhões de euros, menos 58% que o verificado no período homólogo de 2017. Trata-se do 2º mês consecutivo de variações homólogas acumuladas negativas no volume de obras a concurso, o que não acontecia desde dezembro de 2015.

Os números são do Barómetro das Obras Públicas, da AICCOPN, segundo o qual o total dos contratos celebrados no âmbito de concursos públicos, reportados no Observatório, nos primeiros 2 meses do ano ascendeu aos 140 milhões de euros, menos 12% que em igual período do ano passado. Apesar da quebra nos volumes contratados ser significativamente inferior à verificada nos concursos promovidos, o diferencial «continua a ser bastante expressivo», superando os 1.500 milhões de euros ao longo dos últimos 12 meses. A AICCOPN explica que, neste período, foi celebrada uma contratação de 1 euro por cada 2,29 euros de concursos de empreitadas de obras públicas anunciados.

Em contraciclo, em janeiro e fevereiro os contratos celebrados na modalidade de ajuste direto somaram os 81 milhões de euros, 1% acima de igual período do ano passado.

Adicionalmente, o volume total de contratos celebrados neste período foi de 226 milhões de euros, menos 13% face ao período homólogo de 2017.