Matosinhos testa modelo de cidades inteligentes

Ana Tavares |
Matosinhos testa modelo de cidades inteligentes

 

Este projeto foi este mês selecionado pelo Ministério do Ambiente para financiamento. É desenvolvido pela Câmara Municipal de Matosinhos e pelo CEiiA, e pretende «criar no centro da cidade de Matosinhos um bairro inteligente, de baixo carbono, resiliente, acessível, participado e conectado, onde serão testadas, demonstradas e postas em prática, em contexto real, soluções tecnológicas, organizacionais e sociais integradas e orientadas para a descarbonização da cidade», explica a câmara citada pelo Económico.

Áreas como a mobilidade, energia, ambiente, urbanismo e conectividade serão as principais áreas de intervenção. Entre as tecnologias a implementar estão candeeiros medidores de emissões de carbono, pavimento redutor da velocidade de circulação, partilha de bicicletas integrada na rede de transportes públicos, ou uma casa coberta de painéis solares que acompanham o movimento do sol.

A execução deste projeto corresponde à 2ª fase do programa Laboratórios Vivos para a Descarbonização. Será «parcialmente financiada pelo Fundo Ambiental, tendo Matosinhos ficado classificado no terceiro lugar do concurso promovido pelo Ministério do Ambiente. O financiamento do Estado, de 500 mil euros, prevê um prazo de implementação e validação de soluções de até um ano», diz também o comunicado oficial da autarquia.

Entre os vários parceiros do “Living Lab” estão as empresas Casas em Movimento, Biciway, DataRede, JCDecaux, Efacec Electric Mobility, Follow Inspiration, Bandora Systems, Revolution Answer, Omniflow, Pavnext, Philips Lighting, Politécnico do Porto – Instituto Superior de Contabilidade e Administração, STCP, APDL, Associação Empresarial do Concelho de Matosinhos, Associação de Restaurantes de Matosinhos e Metro do Porto.