MAP Engenharia conclui Edifício D. Luís I

Ana Tavares |
MAP Engenharia conclui Edifício D. Luís I

O edifício de escritórios, anteriormente ocupado pelo Millennium BCP, situa-se junto à nova sede da EDP, e tem mais de 10.000m² e parque estacionamento de 144 lugares.

Foi agora requalificado e modernizado, contando com ginásio, cafetaria e nova cobertura com jardim suspenso, restaurante, sky bar e vistas panorâmicas, depois de um investimento total de cerca de 8 milhões de euros, incluindo as obras dos futuros inquilinos.

A primeira fase da obra, correspondente à empreitada geral, teve como dono de obra a Quartztown. Henrique Rodrigues da Silva, Head of Real Estate da empresa, comenta que «a obra de remodelação do edifício D. Luís I representou um desafio de enorme complexidade, só ultrapassado pela coordenação de todos os intervenientes, promotor, arquitetos, fiscalização e empreiteiro». Acredita que «a excelência do resultado final só foi possível pela forma profissional e dedicada que cada um soube colocar na relação diária».

Por sua vez, Diogo Abecasis, Managing Partner da MAP Engenharia refere que «estamos muito satisfeitos com o resultado final deste projeto que iniciou a 26 de abril de 2016 e foi um enorme desafio, transformando um edifício totalmente desatualizado, num moderno e funcional espaço de escritórios, dotado de todas as mais avançadas tecnologias, aliado a uma nova e sofisticada imagem arquitetónica».

Este responsável acredita que «o futuro da construção passa em grande parte pela remodelação e reabilitação de antigos edifícios, principalmente nos centros das cidades, zonas cada vez mais procuradas pela população ativa portuguesa, seja com o objetivo residencial, turístico ou escritórios».

De recordar que o imóvel foi adquirido pela Rockspring, multinacional do Reino Unido especialista em investimentos imobiliários, que acompanhou toda a execução deste projeto, através da Cushman & Wakefield, representada por Matthew Smith, Head of Project Management, segundo o qual «o edifício D. Luís I foi sujeito a uma reabilitação profunda, transformando um edifício datado, praticamente obsoleto e devoluto num edifício mais moderno, tecnologicamente mais avançado e com condições de gerar rendas. Para quem conheceu o imóvel antes do início da remodelação, a transformação é notável e a qualidade do trabalho desenvolvido por toda a equipa é espelhado na qualidade final do edifício remodelado».